Arcebispo condenado por encobrir abusos sexuais em prisão domiciliária

O antigo arcebispo australiano Philip Wilson, condenado em Julho a 12 meses de cadeia por encobrir crimes de abuso sexual de menores, vai cumprir a pena em prisão domiciliária, foi esta terça-feira anunciado.

O magistrado de Newcastle, Robert Stone, decidiu que Philip Wilson deverá cumprir pelo menos seis meses de prisão domiciliária antes de ser considerado elegível para um regime de liberdade condicional.

O mesmo juiz já tinha considerado, em maio, que o arcebispo, de 67 anos, era culpado por não ter informado a polícia sobre o abuso repetido de duas crianças, nos anos 70 do século passado, pelo padre James Fletcher, com quem colaborava na diocese de Maitland-Newcastle


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *